08 junho 2013

Cinquenta Tons do Sr. Darcy: uma paródia
Cris Compagnoni dos Reis03:32 2 comentários

Uma amiga fã da Jane Austen que recentemente leu Cinquenta Tons de Cinza comprou este livro e disse que eu teria que ler, não sei dizer não então eu li. Cinquenta Tons do Sr. Darcy é uma paródia que mescla o clássico inglês Orgulho e Preconceito com a trilogia de literatura erótica que tem sido o assunto do momento no mundo da literatura. O objetivo do livro é ser engraçado mas para ver graça aqui é preciso que o leitor esteja desprovido de preconceitos.


Resenha


A história de Elizabeth Bennt e Fitzwillian Darcy é predominante sobre Anastacia Stel e Christian Gray, na verdade a herança do romance erótico nesse livro aparece no vocabulário com conotação sexual e o ambiente sadomasoquista mesmo na Inglaterra pré-vitoriana. O casal se conhece quando Jane, a irmã mais velha de Elizabeth passa a ser cortejada pelo amigo do Sr. Darcy que aqui é chamado de Sr. Bingulin, assim como em Orgulho e Preconceito Jane adoece ao fazer uma visita às irmãs de seu pretendente e fica acamada, Elizabeth vai até a casa do Sr. Bingulin a fim de cuidar da irmã e passa a ter maior proximidade com o Sr. Darcy.


Elizabeth vem de uma família sem muitas posses, mas é uma moça fina e educada, Fitzwillian é um nobre muito rico e ambos tentam negar a atração forte que surge entre eles. A fama de sádico dele não é segredo e por abominar esse estilo de vida Elizabeth tenta se manter afastada do Sr. Darcy, mas ela fica completamente indecisa quando ele lhe faz uma proposta contratual de uma relação submissa-dominador, usando como justificativa o resgate dele desse mundo devasso ela acaba aceitando e conhecendo todas as depravações do Sr. Darcy. E assim a história caminha, aqueles que já leram ambos os livros já sabem como esse termina mas até mesmo aqueles que não leram já devem imaginar já que Cinquenta Tons do Sr. Darcy é completamente previsível.


O que essa reles leitora achou do livro:


Essa foi a primeira paródia literária que li pois nunca me interessei por esse estilo. Por conhecer as obras que deram origem a esse livro posso afirmar que mescla bem as duas histórias trazendo elementos de Cinquenta Tos de Cinza para o ambiente e a história de Orgulho e Preconceito, como Charlie Tango, o helicóptero de Christian Gray que aqui é o balão do Sr. Darcy, e a deusa interior de Anastacia Stel que aqui é a sádica interior de Elizabeth Benet. E assim como a Anastacia em Cinquenta Tons de Cinza aqui Elizabet também tem que entrevistar o protagonista e suspeita que ele é gay, também recebe a proposta de assinar um contrato onde aceita ser a submissa do seu entrevistado e no decorrer da história também descobre que ele já teve um caso com a amiga de sua mãe.

O estilo desse livro é bastante semelhante a aqueles filmes cujo objetivo é zombar de outros filmes, nunca gostei desse tipo de filme assim como não gostei desse livro, achei essa sátira de muito ml gosto. Uma das coisas que mais me incomodou em Cinquenta Tons de Cinza foi o vocabulário chulo, além de ser muito previsível, e esse tipo de vocabulário foi piorado nessa versão. Não gostei de ver personagens com nomes como Sr. Bingulim e sinceramente, o que era aquela mãe da Elizabeth? Se eu fosse Jane Austin estaria me revirando no túmulo ao ver o fizeram com a história de Orgulho e Preconceito, foi de péssimo gosto colocar o sadomasoquismo de forma tão explicita na Inglaterra pré-vitoriana.

Eu poderia ter largado o livro, mas conclui a leitura porque sempre tento evitar abandonar uma história e também porque queria ter propriedade para poder dizer aos leitores desse blog que não percam o seu tempo com esse livro, se o objetivo é dar risadas posso recomentar ótimas leituras que tenham qualidade. A amiga que comprou esse livro e me emprestou não leu ele todo, acho que ela esperava outra coisa, mas uma conclusão podemos tirar: ler novamente uma paródia só se ela for muito bem recomendada, mas se mesmo assim bateu aquela curiosidade, o preço do livro pode variar de R$ 20,00 a R$ 30,00 nas principais lojas virtuais sendo encontrado até no Mercado Livre.
Sobre o autor (a) Formada em Matemática e especialista em Estatística mas ganha a vida como bibliotecária e é viciada em livros. Facebook ou Twitter

2 comentários :

  1. Parabéns pela bela página. Vou me arriscar a convidar você para ler - não uma paródia - mas um pastiche, de minha autoria, também com pretensões de humor, sobre uma História real, sangrenta, onde morreram muitos nordestinos. Muitos professores de História, aqui no Sul/Sudeste, a desconhece, não está nos livros de História, por isto mesmo não é falado em sala de aula!... POR QUE SERÁ?!!!... É só baixar, ler e comentar [em ate quatro linhas mais só por aqui, ou no Face oceannbolla] à vontade, com o mesmo espírito crítico que vc teve aqui! Muito grato! José...
    https://www.talentosdamaturidade.com.br/trabalho/40383/o-velhinho-in-a-batalha-do-rio-jenipapo-a-sangre

    ResponderExcluir
  2. Concordo cm vc... Comecei a ler, mas achei ridículo as palavras chulas, esperava cenas picantes mais que não deixassem de perceber como era o sexo naquela época, voltada mais para a timidez das mulheres de antigamente! Não recomendo a niguém ler.
    A mãe de Elizabeth é algo de querer se matar para quem escreveu, meu Deus nunca odiei tanto um livro. Apesar de no livro original de Jane Austen não ter parte descritiva de algo, fica implicito no livro a paixão e o amor de Sr. Darcy, que para mim é um dos melhores personagens masculinos!

    ResponderExcluir