12 novembro 2012

Cinquenta tons de liberdade
Cris Compagnoni dos Reis14:23 3 comentários


Previsível, desde o primeiro volume da trilogia já imaginava que essa história terminaria assim, e a profecia se cumpriu, sem surpresa alguma, sem emoção alguma, então não estarei estragando a história para nenhum potencial leitor se contar que Anastacia e Christian chegam ao seu “felizes para sempre” no fim da história.

Neste terceiro volume da trilogia me decepcionei com a falta da narrativa do casamento do casal principal, acho que toda leitora romântica esperava uma descrição melhor do evento, e não apenas alguns relances que surgiam nos sonhos da protagonista. A história já não vinha sendo bem contada, e assim ela permaneceu no seu episódio final.

Mas é compreensível o sucesso de vendas desses livros, pois não passa de um conto de fadas moderno, e contos de fadas são contados e recontados a séculos; a principal diferença é que neste existe sexo, mas inda têm o “príncipe encantado” que faz qualquer mulher suspirar.

Está bem eu confesso: também quis um Christian Gray pra mim, mas qual a mulher que não quer? O cara é lindo, podre de rico, um deus do sexo e ainda é fiel! Lógico que alguém assim não existe, e caso existisse, será mesmo que alguém como ele iria se apaixonar por uma mulher tão tapada quanto a Anastacia? Não é inveja da minha parte não, ela é uma ameba; eu gosto de personagens inteligentes, determinadas, personagens que agem não que apenas assistem a vida passar e ficam felizes com o que a vida determina para eles.

As vezes não me sinto a vontade de falar o realmente acho dessa história, pois vejo leitoras empolgadíssimas devorando os livros, parece que é um crime dizer que é ruim, é mal escrito, é previsível e pobre. É literalmente um “Best Seller”, pois vai vender muito, as pessoas vão comprar sem se importar com a qualidade, pois está na moda.

Quanto as cenas de sexo, estão no mesmo nível dos volumes anteriores, acho que por isso não surpreende mais; ainda têm aquelas expressões que acho vulgares e broxantes, tentei relevar e curtir a leitura, em algumas vezes isso foi possível, em outras não; será mesmo que um cara como Christian Gray gosta de uma mulher sem atitude alguma como a Anastácia? Tem coisas que não fazem sentido pra mim.

Para quem não espera qualidade literária, vale ler como “laser”; como manual creio que existam melhores; literatura a respeito de sexo com certeza existe melhores, li porque raramente abandono um livro, sou curiosa e precisava saber como acabava, apesar de já saber antes mesmo de terminar. Agora é esperar o Christian Gray nas telonas, porque com certeza vou assistir, ainda resta uma esperança de que a versão nos cinemas seja melhor!

Obs.: Tenho o livro em PDF, posso enviar por e-mail para quem desejar ler, é só deixar o endereço nos comentários.
Sobre o autor (a) Formada em Matemática e especialista em Estatística mas ganha a vida como bibliotecária e é viciada em livros. Facebook ou Twitter

3 comentários :

  1. Ouvi falar tanto que me interessei ler, se for bom mesmo darei minha opinião apos ler, cirrede@hotmai.com

    ResponderExcluir
  2. Me envia tá??

    aryssaglay@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. Bem, estava prestes a comprar essa trilogia, mas diante do que acabei de ler pensarei mais um pouco sobre esse investimento. Talvez o que me tenha feito pensar em adquirir esses livros tenha sido o fato de vê-lo nas mãos de muita gente realmente interessada. Será que vale a pena mesmo? Gostaria de ler.
    b52.fortalezavoadora@hotmail.com

    ResponderExcluir