17 setembro 2012

Cinquenta Tons de Cinza
Cris Compagnoni dos Reis14:55 2 comentários


Eu li um livro erótico! Pronto, assumi; pra mim é difícil fazer isso, mas me propus a escrever sobre tudo que ler, então aqui está a minha postagem sobre Cinquenta Tons de Cinza. Esse é o estilo literário do momento, está liderando as vendas, e é bem fácil entender por que: sexo vende!

Fica bem claro que um livro comercial, ele foi feito para vender, tanto que faz parte de uma trilogia, pra que vender um livro só se se pode vender três. E a protagonista, Anastacia, é aquela mulher que qualquer leitora poderia ser, ela não têm características marcantes, não é uma personagem complexa, fica muito fácil se colocar no lugar dela, ainda mais se for pra se apaixonar por um homem rico, lindo e misterioso.

Christian Grey é o homem que invade de repente os pensamentos de Anastácia, ele vai o entrevistar para o jornal da faculdade no lugar da amiga que estava doente, ele é um empresário jovem e muito bem sucedido que financia muitas pesquisas da faculdade e será homenageado na formatura de Anastácia. A atração entre eles é momentânea, mas ela se sente intimidada por aquele homem e sem esperança alguma pois o que ele iria ver em uma mulher como ela.

Mas eles tornam-se a se encontrar, e aos poucos vão se conhecendo. Um dia Christian leva Anstácia para sua casa e revela quais são as intenções dele com relação a ela: ele assume ser um dominador, mostra a ela um quarto todo cheio de chicotes, varas, algemas, mordaças, e apetrechos sexuais, e lhe propõe que ela seja sua submissa, e que isso fique formalizado através de um contrato, e também faz com que ela assine um contrato de confidencialidade para que ela não possa contar essa proposta para mais ninguém.


É nesse ponto que está todo o drama do livro, Anastácia gosta dele, e não quer se afastar, mas também não quer ser submissa a ele, não é esse o tipo de relação que ela espera. Ela é uma mulher completamente inocente, virgem e sonhadora; pede um tempo para pensar, e nesse meio tempo enquanto eles vão discutindo os termos do contrato acabam se envolvendo cada vez mais, Anastácia deixa de ser virgem, e se apaixona mais por esse homem intimidador.

Já era de se imaginar que há várias cenas de sexo nesse livro, a maioria delas é descrita em detalhes, é difícil não se excitar quando se está concentrado na leitura, pelo menos é o que pude contatar com algumas pessoas conhecidas que também leram esse livro, porém um amigo me disse que apenas mulheres têm essas “sensações” com a leitura, que os homens não sentem excitação alguma, mas ele não leu, gostaria muito de saber a opinião de algum leitor referente a isso (por favor, deixem comentários à respeito).

Li algumas críticas a respeito de Cinquenta Tons de Cinza que o classificavam como pornô para mamães, sinceramente eu acho que pornô é pornô indiferente do público para o qual é voltado; confesso que quando descobri que a intenção de Christian era ter com Anastacia uma relação de dominador e submissa, achei que me depararia com cenas bem mais “quentes”, mas elas não são nada fora do normal, o que não gosto de cenas assim é de alguns termos que me soam vulgares como “estocada”, “penetrando” e “foder”, sou uma romântica incurável mesmo, não consigo desvincular o sexo do romance.

Mas no final das contas acho que o livro cumpriu com o seu papel, fiquei morrendo de curiosidade de ler os próximos volumes da trilogia, na verdade até já comecei a ler o segundo, também, Cinquenta tons de Cinza não têm um desfecho, sou muito curiosa e preciso saber como essa história acaba; mas não vou me iludir, sei que não posso esperar qualidade literária, personagens e enredo bens construídos, pelo menos são livros que lemos bem rápido, “literatura fast-food” como diz uma amiga, não exige uma grande capacidade do leitor para a compreensão do texto, na verdade não exige nenhuma, é um livro para o leitor não pensar.
Sobre o autor (a) Formada em Matemática e especialista em Estatística mas ganha a vida como bibliotecária e é viciada em livros. Facebook ou Twitter

2 comentários :

  1. Muitas criticas dizendo que é um livro que não acrescenta nada a cultura de uma pessoa, porém acho que é um livro que pode melhorar muito o relacionamento conjugal, estou na metade do segundo livro e como voce também sou curiosa e quero saber como isso termina.

    ResponderExcluir
  2. Te confesso que ao ler sua opinião sobre 50 tons de liberdade me frustrei um pouco mas ao ler sobre o 1º livro fiquei ainda mais curiosa para conhecer esta narrativa!

    ResponderExcluir