28 maio 2012

Prenda-me se for capaz
Cris Compagnoni dos Reis11:26 1 comentários


Sempre me considerei uma pessoa esperta, mas me senti um nada em termos de “esperteza” quando li as memórias de Frank Abagnale Jr., o cara é um gênio, se é que existe algum argumento capaz de defini-lo.

Essa história ficou famosa em 2002 quando foi adaptada para as telonas com a direção de Steven Spielberg e estrelado por Leonardo DiCaprio e Tom Hanks, mas eu ainda não vi essa adaptação, porém tenho um amigo que viu, adorou a história, me emprestou o livro e me convenceu a ler; confesso que de início não tive muito interesse, mas depois o interesse veio como uma avalanche e não foi preciso mais de um dia para que lesse o livro todo.

Frank foi o maior especialista em passar cheques frios do qual já ouvi falar, ele descobriu como funcionava o sistema de códigos e sequencias numéricas dos cheques nos Estados Unidos, mas para não correr o risco de ser pego ele não ficou aplicando seu golpe apenas em Nova York, ele precisava viajar.

Como um bom vigarista, Frank encontrou um meio de se deslocar pelo país de graça; ele descobriu que todo avião disponibiliza uma poltrona grátis para pilotos de outras companhias que tenham a necessidade de se deslocar em função do seu trabalho; então resolveu se tornar piloto, não de forma lícita, ele falsificou toda a documentação, conseguiu uniformes, crachá e tudo mais que era necessário para se passar por um piloto, até mesmo aumentar a sua idade porque ele ainda não tinha completado 18 anos de idade.

21 maio 2012

A Guerra dos Tronos
Cris Compagnoni dos Reis23:41 4 comentários


Esse livro é o primeiro volume de AS CRÔNICAS DE GELO E FOGO do George R. R. Martin; quis ler porque li uma crítica na internet que comparava essa saga com O Senhor dos Anéis, e ainda afirmava que era melhor que obra de Tolkien, como grande fã da história de Frodo não poderia deixar de ler algo que dizem se comparar a ela.

Ainda não li um livro de fantasia que não me agradasse, gosto muito do gênero, e A Guerra dos Tronos foi a fantasia mais “real” que já li, creio que isso se deve a construção dos personagens, eles são demasiado humanos, complexos, com todas as qualidades e defeitos que uma pessoa pode ter.

A história começa quando o rei Robert vai até o longínquo norte pedir ao seu amigo Eddard, que é o Lorde de Winterfell, que assuma o cargo de Mão do Rei, uma espécie de conselheiro. Ele resiste em aceitar o cargo mas quando sua esposa Catelyn é informada pela irmã viúva do antigo Mão, de que o marido foi envenenado pela rainha Cersei que pertence à poderosa casa Lennister, Eddard resolve aceitar a proposta do amigo e vai para a corte com as suas duas filhas Sansa e Arya.