12 abril 2012

Mil dias em Veneza
Cris Compagnoni dos Reis21:55 4 comentários

Talvez esse seja o livro que mais me demorei a ler, fui saboreando aos poucos, um pouquinho por dia. Não conheço Veneza, pelo menos não conhecia, agora creio que possa afirmar que conheço um pouco dessa cidade, mesmo sem nunca ter estado lá, essa é a magia da literatura.

Mil dias em Veneza é um romance, mas é um romance possível, um romance real, não é uma obra de ficção; é uma parte da biografia de Marlena de Blassi, uma chefe de cozinha americana que escreve críticas gastronômicas, e em uma de suas viagens a trabalho à Veneza conhece um veneziano, com olhos cor de mirtilo. Algum tempo depois esse veneziano que Marlena chama carinhosamente de “estranho” vai aos Estados Unidos a pede em casamento; ela corajosamente deixa a sua vida pra trás e muda-se para Veneza para se casar com o estranho.

Geralmente quando leio histórias reais me choco, me impressiono, mas essa é uma que me encantou, pela leveza, pela simplicidade, e pela percepção de comoa valorização das pequenas coisas boas que nos acontecem diariamente pode nos fazer felizes. A realidade não precisa ser dura, e o amor não existe apenas para os jovens, Marlena e Fernando são duas pessoas maduras, que resolvem dividir suas vidas.