27 outubro 2011

A Farsa
Cris Compagnoni dos Reis11:32 1 comentários


Ganhei esse livro de presente de uma amiga muito querida, quando sou presenteada com livros me sinto na obrigação de ler logo, de postar logo no blog, pois sinto que é isso que a pessoa que me deu o livro espera, pois todos sabem que sou uma espécie de devoradora de livros. Ainda bem que esses amigos queridos estão sendo pacientes, posso demorar um pouco, mas eu lerei todos.

A FARSA é um daqueles suspenses que não deixa o leitor largar o livro, ele impõe aquele ritmo alucinado de leitura, e sempre tenho a impressão de que se não seguir esse ritmo, se fizer muitas pausas, a história não flui do mesmo jeito, não é tão emocionante, não me deixa tão curiosa. Então tenho que ler rápido, será que é só pra essa leitora aqui que a velocidade da leitura parece influenciar na história?

Chistopher Reich escreve no mesmo formato da maioria dos livros de suspense que já li, usando a mesma “fórmula mágica” que Dan Brown, cada capítulo falando de um núcleo de personagens distintos que, no início, não parecem pertencer à mesma história, mas que aos poucos vai fazendo sentido estarem no mesmo livro. Só posso dizer que isso funciona, creio que é justamente esse formato que cria esse clima de suspense.

A FARSA conta a história do cirurgião Jonathan Ransom, que vai escalar com a sua esposa nos Alpes suíços, mas Emma sofre um acidente e acaba falecendo. A partir daí a vida de Jonathan vira de cabaça para baixo, ele recebe um envelope endereçado a Emma com recibos de bagagem de uma estação de trem, e vai até lá para retirar a bagagem; é atacado por policiais, acaba matando um deles e passa a ser um fugitivo procurado.

11 outubro 2011

Um lugar escuro - Divulgação
Cris Compagnoni dos Reis09:30 6 comentários


Pela primeira vez estou postando no blog sobre um livro que eu não li, bom, que eu ainda não li, pois este certamente já entrou na minha lista de “próximas leituras”.

O autor, Leonardo Zegur, entrou em contato comigo solicitando auxílio na divulgação do seu livro, que foi lançado ontem dia 10/10/2011, e mesmo não tendo feito nada parecido no blog antes, eu resolvi ajudar principalmente por dois motivos: isso é uma pequena demonstração de que o blog está tendo um alcance muito maior do que o que eu esperava, e, imagino o quanto deve ser difícil competir no mercado editorial brasileiro, da mesma forma que encontramos aquelas pessoas que dizem não gostar de filmes nacionais, existem muitos leitores que afirmam abertamente que não gostam de autores brasileiros, sem nem se dar ao “prazer” de conhecer primeiro.

O pouco que sei sobre UM LUGAR ESCURO é o que li no texto de divulgação que o Leonardo me passou, o mesmo reproduzido a seguir. Estou muito curiosa pra ler e assim que o fizer prometo postar um texto meu falando sobre este livro do mesmo jeito que faço com todos os outros que leio.


UM LUGAR ESCURO 

Leonardo Zegur, escritor carioca, conta a história de um jovem discriminado pela sociedade por não possuir os padrões exigidos pela cultura popular


O livro Um Lugar Escuro de Leonardo Zegur, primeiro de sua carreira como escritor, aborda temas atuais como descriminação, bullying e vício em tecnologia e internet. A história foi baseada em elementos da vida de dois amigos do autor. O lançamento será no dia 08 de outubro de 2011, às 19h, no Espaço Multifoco.

O autor define o livro como um romance psicológico naturalista, em que narra a história de um jovem carioca, morador da Zona Norte, tentando coexistir em uma sociedade onde é discriminado por não possuir os padrões exigidos pela cultura popular local. Na tentativa de se posicionar dentro de outra realidade, o jovem se transforma numa pessoa que nunca quis ser, sofrendo assim com as consequências deste comportamento.

A trama, que acontece no Rio de Janeiro, dentre muitos bairros, Quintino e Encantado, mostra que para lidar com o sentimento de rejeição, o protagonista acaba se envolvendo em uma onda de assassinatos canalizados em moças jovens e bonitas. Com a divulgação destas notícias nos tabloides, o jovem atrai seguidores em todo Brasil que se identificam com suas causas.

Para que o leitor pudesse participar integralmente e se colocar como personagem principal da trama, o autor, de forma proposital, preferiu não dar nome ao protagonista. Além disso, o livro mostra um Rio de Janeiro sobre outro ponto de vista, presumindo consequências desencadeadas pelas falhas do sistema que rege a sociedade.
Com um texto denso e extremamente visual, Um Lugar Escuro, sinaliza que a vida em uma sociedade complexa não é tão simples. Cada minuto que se passa é uma vitória, vencendo todo tipo de preconceito.

Sobre o autor
Leonardo Zegur, é um escritor carioca, de 28 anos. Psicólogo, sempre em formação, passou pela Escola de Música Villa-Lobos. Entre suas paixões, além da música, estão a fotografia e a pintura. Como contador de história descobriu que o dote da escrita não se restringe a uma excelsa dádiva e, a partir daí, começou a fazer do papel o portal de entrada para seus mundos de criatividade. 

Para conhecer mais, visite o site: www.umlugarescuro.site.com.br