18 outubro 2010

RUMBLE FISH - O SELVAGEM DA MOTOCICLETA
Cris Compagnoni dos Reis09:28 0 comentários

Este livro conta um pouco da história de Rusty-James, um período complicado da vida deste garoto. Não é uma história alegre, ela é dura, assim como a realidade pode ser para alguns.

Susan E. Hilton ficou conhecida pelo livro Outsiders e repetiu o sucesso com RUMBLE FISH, que também foi levado as telas pelo cineasta Francis F. Coppola em 1983 (infelizmente não tive a oportunidade de ver o filme). Ambos situam os acontecimentos nos subúrbios americanos dos anos 70, mostrando o quanto é difícil para um jovem sobreviver nesse contexto.

A autora criou um universo onde não há pais nem autoridades adultas, um ligar onde os garotos vivem segundo as suas próprias regras. Ela diz que escreveu porque não conseguia encontrar histórias que descrevessem a vida dos adolescentes fora do estreito mundo dos bailinhos escolares.


E é nesse universo que Rusty-James tenta sobreviver, ao encontrar o seu amigo Steve ele relembra o seu passado; as brigas em que se envolvia, a relação quase inexistente com o pai e a idolatria pelo irmão mais velho, conhecido como ‘o Motoqueiro’.

Rusty-James sonhava em ser líder de uma gangue, assim como o Motoqueiro o foi, mas o período das gangues teve seu fim e Rusty-James vive da nostalgia do tempo em que queria ter vivido. Porém as gangues podem não existir, mas as brigas continuam acontecendo, deixando marcas profundas na vida destes garotos.

Mas por mais estranho que possa parecer, o protagonista e o seu círculo social anseiam por essas brigas cotidianas, parece que é a única diversão que eles têm, é o laser desses garotos. Mas o que é mais triste é perceber que não há nenhuma esperança ou perspectiva de futuro, se a vida de qualquer um desses garotos acabar ali em qualquer uma daquelas brigas, simplesmente acabou.
Sobre o autor (a) Formada em Matemática e especialista em Estatística mas ganha a vida como bibliotecária e é viciada em livros. Facebook ou Twitter

0 comentários

Postar um comentário