30 abril 2010

O CARTEIRO E O POETA
Cris Compagnoni dos Reis18:09 2 comentários


Neste livro Antonio Skarmeta narra a improvável amizade entre o simplório carteiro Mario Jiménez e o poeta Pablo Neruda, uma relação que encanta pela sua cumplicidade.

O famoso poeta está no fim da vida se refugia no pequeno vilarejo de Ilha Negra no Chile e o seu único contato com o mundo exterior é o carteiro Mario que vem lhe trazer suas correspondências, nasce aí uma amizade pura.

Mario começa a pedir conselhos amorosos a Pablo Neruda e este por sua vez se interessa em saber um pouco mais sobre a vida do carteiro, e o poeta desperta em Mario a admiração por suas poesias que lhe eram até então desconhecidas.

20 abril 2010

O ANEL DOS NIBELUNGOS
Cris Compagnoni dos Reis18:36 5 comentários



Esse livro possibilitou o meu primeiro passeio imaginário pela mitologia nórdica, os autores A. S. FRANCHINI e CARMEN ALENICE SEGANFREDO apresentam uma versão romanceada em uma pequena novela baseada na famosa tetralogia operística O ANEL DOS NIBELUNGOS do compositor alemão Richard Wagner, que utilizou as lendas vikings como fonte de inspiração.

Confesso que o que me levou a ler o livro foi descobrir que Tolkien se inspirou nesta história para escrever o Senhor dos Anéis, um dos meus livros favoritos, e acabei descobrindo a mitologia nórdica que me era totalmente desconhecida.

16 abril 2010

FELIZ ANO VELHO
Cris Compagnoni dos Reis18:10 1 comentários


Em uma narrativa explicitamente autobiográfica Marcelo Rubens Paiva relata em primeira pessoa a fatalidade que marcou sua vida deixando-o paraplégico aos dezenove anos de idade. Ainda bem que já li esse livro há algum tempo, já que hoje estou vivenciando a experiência de estar em uma cadeira de rodas, graças a Deus a minha condição atual é temporária (45 dias) devida a uma queda de moto; lembrei muito dessa história quando estava no hospital e resolvi encarar o acidente como férias não planejadas.

Mas voltando ao livro é impressionante como a realidade choca a gente, deveríamos ser habituados a ela ao invés de crer que coisas ruins acontecem, mas nunca com a gente, quando Marcelo Rubens Paiva mergulhou de cabeça em um lago durante uma farra com os amigos nunca poderia imaginar que este mergulho seria para uma vida completamente diferente a que ele levava.

01 abril 2010

A CASA DA ESQUINA
Cris Compagnoni dos Reis17:55 1 comentários



Inicialmente conhecia Duca Leindecker apenas como músico da banda Cidadão Quem e do Pouca Vogal, então descobri que ele também era escritor, e senti urgência em ler os livros dele.

Comecei por A CASA DA ESQUINA, uma das histórias mais singelas que já li. Expõe a simplicidade do cotidiano de um menino que como narrador, fala sobre a sua família, a escola, suas angústias, alegrias e principalmente suas percas; as relações familiares deixam transparecer o carinho, o amor e o respeito entre eles.

Uma das coisas que mais gostei nesse livro é a naturalidade com que se trata do primeiro amor, o descobrir-se apaixonado pela primeira vez, o primeiro beijo e a primeira separação. Eu senti todas as emoções do protagonista, me vi no lugar dele.