11 março 2010

CEM ANOS DE SOLIDÃO
Cris Compagnoni dos Reis12:13 2 comentários


Tenho a impressão de que tudo o que disser sobre esse livro já foi dito já que foi com ele que Gabriel García Márquez ganhou o Prêmio Nobel de Literatura de 1982. Essa leitura foi realmente complicada, muitos adjetivos e expressões regionalistas da Colômbia que não encontrei nos dicionários a minha disposição e a internet não me era uma ferramenta muito acessível na época.

CEM ANOS DE SOLIDÃO conta a história do povo da fictícia Macondo e de seus fundadores a família Buendía, representa de forma alegórica a história da Colômbia incorporando elementos de caráter mítico e lendário. Têm aquele estalo de fantasia que me encanta e ao mesmo tempo em que é triste apresenta o inegável humor que só Garcia Márquez consegue imprimir nas histórias.



Quando o escritor era criança, seu avô, o coronel Márquez, o apresentou mesmo, maravilhado, ao gelo, tal como José Arcádio Buendía faz com o filho Aureliano em algum momento do romance. Isso mostra como pequenas coisas podem ser surpreendestes e fatos importantes as vezes passam despercebidos como o final trágico do livro por exemplo, pois a obra é toda cheia de passagens tão curiosas que quando findei a leitura demorei um bom tempo para me tocar que foram as formigas que acabaram com tudo.

Nunca li duas vezes o mesmo livro, porem esse é um que pretendo ler novamente, não sei quando pois depois da primeira vez cheguei a conclusão de que essa obre exige dedicação integral do leitor porem vale muito a pena conhecer a saga dessa família de solitários de Macondo.
Sobre o autor (a) Formada em Matemática e especialista em Estatística mas ganha a vida como bibliotecária e é viciada em livros. Facebook ou Twitter

2 comentários :

  1. Oi Cris, gostei muito do seu blog e os resumos que vc faz são bem claros. Eu admito que nao terminei de ler 100 anos de solidão, é realmente uma literatura muito complexa, mas pretendo terminar tb. Priscila

    ResponderExcluir
  2. Perdoe, querida, mas esse foi um dos livros mais chatos que li em minha vida. Apesar do Prêmio Nobel, da complexidade, da grande metáfora, etc. Na minha opinião, Garcia Marques tem coisas melhores para se ler: O Enterro do Diabo, Ninguém escreve ao Coronel, Memórias de Minhas Putas..., A triste história de Cândida Erêndira.

    ResponderExcluir