24 março 2010

MARLEY E EU
Cris Compagnoni dos Reis20:18 4 comentários




Jhon Grogan é um jornalista americano que por anos publicou em sua coluna em um jornal histórias sobre o seu cachorro Marley, estas histórias foram reunidas no romance que acabou culminando no livro MARLEY E EU.

Marley é um labrador hiperativo que têm pânico de chuvas, ainda mais de tempestades, que fez parte da família de Jhon estando presente nos seus momentos mais importantes como o nascimento dos filhos, mudanças, compartilhando alegria e tristezas.

23 março 2010

A DAMA DAS CAMÉLIAS
Cris Compagnoni dos Reis20:35 1 comentários


Alexandre Dumas Filho inicia o seu romance com as seguintes palavras: “Sou da opinião de que só se pode criar personagens quando já se estudou muito os seres humanos, assim como só se pode falar uma língua na condição de tê-la aprendido a sério. Não tendo ainda atingido a idade em que se possa inventar, contento-me em relatar.” Assumindo assim sua autobiografia na obra.

A DAMA DAS CAMÉLIAS é a mais famosa história de amor por uma cortesã, onde o jovem estudante de Direito na Paris de meados do século XVX Armand Duval se apaixona e tem seu sentimento correspondido pela prostituta mais cobiçada dos salões e teatros parisienses Marguerite Gautier.

O ponto principal de distinção entre Dumas Filho e o seu protagonista é que o autor não vem de uma respeitável família burguesa interiorana como Armand, mas é filho bastardo do notável escritor Alexandre Dumas (autor de Os Três Mosqueteiros e O Conde de Monte Cristo) com uma lavadeira e só conhece o pai com sete anos de idade quando este o tira da mãe para que inscrevê-lo em um colégio interno onde se habitua a palavra bastardo.

22 março 2010

MADAME BOVARY
Cris Compagnoni dos Reis20:39 1 comentários


Quando MADAME BOVARY foi publicado em capítulos na Revue de Paris a partis de 1º de outubro de 1851, moveu-se um processo contra o autor, o editor e o impressor por ofensa à moral pública e a religião. Este culminou na absolvição de todos e o livro foi publicado em abril de 1857. Era uma afronta aos costumes da época retratar a vida de uma heroína que praticava o adultério.

Emma Bovary foi inspirada em um fato real de suicídio da esposa de um oficial de saúde da Normandia, é a história de uma mulher extremamente romântica que se casa sem amor e acaba por se perder em idealismos, amantes e dívidas.

20 março 2010

O HOBBIT
Cris Compagnoni dos Reis17:43 2 comentários


Nunca havia pensado em ler O HOBBIT, na verdade não tinha conhecimento do livro e muito menos do que é um hobbit, o que eu queria era ler O Senhor dos Anéis, não tinha assistido aos filmes por que nunca assisto quando tenho a intenção de ler, gosto de ler primeiro.

E assim o fiz, dei início à empreitada que é ler O Senhor dos Anéis e pra falar a verdade não entendi nada, não consegui penetrar no universo de Tolkien, o prólogo não me ajudou em nada. Foi aí que descobri O HOBBIT, o predecessor, conheci os hobbits e especialmente Bilbo e a sua aventura.

19 março 2010

COMO VIVER ETERNAMENTE
Cris Compagnoni dos Reis19:25 6 comentários


COMO VIVER ETERNAMENTE de Sally Nicholls conta a comovente história de San, um menino de onze anos que tem leucemia. O fato de ser ficção não faz com que o livro seja menos envolvente, é narrado em primeira pessoa o que torna o leitor muito íntimo de San.


A organização do livro é algo que realmente adorei, ele se apresenta como se fosse um diário, um caderno onde San conta a sua história, têm muitas listas, perguntas sem respostas, desenhos, fotos, tudo devidamente numerado e posicionado como se uma criança que o tivesse confeccionado.


San fala da sua família, das coisas que gostaria de fazer que em umas de suas listas intitulada “coisas que quero fazer” são extremamente simples como subira a escada rolante que desce ou, descer a escada rolante que sobe; suas dúvidas e medos como em uma das suas perguntas sem respostas: “morrer dói?”, fala do amigo que conheceu em um de seus muitos internamentos e que tem a mesma doença que ele, da professora que os ensina em casa.

18 março 2010

OS DELÍRIOS DE CONSUMO DE BECKY BLOOM
Cris Compagnoni dos Reis20:42 0 comentários


Rebeca Bloom é extremamente consumista, uma daquelas pessoas que não pode ver uma promoção, uma liquidação, renovação de estoque ou qualquer coisa que as lojas possam criar para anunciar seus produtos, e viciada em cartões de crédito.

Roupas, calçados, perfumes, maquiagem e demais acessórios, basta ter uma etiqueta de alguma marca famosa para que Becky não resista e compre, mesmo não precisando, não tendo utilidade nenhuma para ela e, principalmente, não podendo comprar.

Ela é especialista em fugir de cobradores e especialmente do gerente do seu banco, inventa mil e uma desculpas e sempre promete pagar o que sabe que não vai conseguir e assim se enrolando cada vez mais em dívidas. O curioso desta história é que Becky trabalha em uma revista de economia escrevendo artigos que ajudam as pessoas a cuidar de suas finanças.

A CIDADE DO SOL
Cris Compagnoni dos Reis18:08 3 comentários


Nunca me imaginei conhecendo um país como o Afeganistão, mas hoje, depois de ter lido o autor afegão Khaled Hosseni posso dizer que conheço um pouco aquele país, não com a profundidade de quem esteve lá, mas tenho algo a dizer sobre essa cultura tão diferente.

A CIDADE DO SOL mostra um país destruído pela guerra e a luta de duas mulheres completamente diferentes, mas unidas pela mesma dor, para sobreviver e acima de tudo tentar ser feliz. Lailah e Mariah são de gerações distintas e acabam se casando com o mesmo marido, já que a religião predominante naquele país é o islamismo. Mariah é a primeira a se casar obrigada pelo pai que mal conheceu, ela não teve filhos e depois de muitos anos o marido resolve se casar novamente dessa vês com Lailah, que só aceita o casamento por acreditar que seu grande amor morreu e a deixou grávida.

17 março 2010

MARTINI SECO
Cris Compagnoni dos Reis19:25 1 comentários


Com um humor característico que só Fernando Sabino sabe escrever MARTINI SECO me fez rir muito. É uma novela curta e de leitura muito rápida, daquelas que não se consegue largar e quando se lembra de fazer uma pausa, já terminou.

Um homem vai à polícia e fala para o delegado que a sua mulher vai se suicidar para incriminá-lo, depois a esposa vai à mesma delegacia dizendo que o marido ira matá-la e fazer com que se pareça suicídio. Ao investigar os antecedentes criminais do marido o delegado descobre que anos atrás a sua primeira esposa morreu envenenada e ele foi acusado pela sua morte, porém nada ficou provado.

16 março 2010

O LADRÃO DE RAIOS
Cris Compagnoni dos Reis18:52 1 comentários


É o ultimo livro que li, terminei há dois dias e quero ver o filme, por isso resolvi escrever sobre ele antes de ver a história na telona e deixar que esta influencie a minha opinião sobre o livro.

Rick Riordan escreveu o livro para o filho caçula que é disléxico e têm déficit de atenção, assim como o herói Percy Jackson, porém essas características são explicadas pelo fato de que Percy é um Meio-Sangue, ou seja, é filho de um dos deuses do Olimpo com um ser humano. Achei genial a inserção dos personagens da mitologia grega na contemporaneidade, sátiros, centauros, monstros variados, deuses e heróis, aqui heróis em treinamento.

É impossível não comparar O LADRÃO DE RAIOS com a saga de Harry Potter então:

15 março 2010

A SAGA CREPÚSCULO
Cris Compagnoni dos Reis21:02 0 comentários

Com quatro livros: Crepúsculo, Lua Nova, Eclipse e Amanhecer essa saga é um fenômeno entre os adolescentes, tanto no cinema quanto na literatura. Já deixei a adolescência há algum tempo, mas continuo curiosa, precisava saber o que Stephanie Meyer escreve que os encanta tanto.

Tenho dois posicionamentos distintos quanto a estes livros:

• Primeiro vem o meu lado adolescente, como não se encantar com aquela trágica história de amor proibido que desde Shakespeare acalenta os corações sonhadores? E se esse amor é vivido em uma fase da vida em que somo trágicos por natureza, quando tudo pode representar o fim do mundo, quando se tem dezessete anos e se apaixona por um vampiro, quanto sofrimento. A vilania boazinha dos vampiros traz um ar de suspense e uma apimentada na impossibilidade desse amor.

14 março 2010

HILDA FURAÇÃO
Cris Compagnoni dos Reis21:18 0 comentários




O que leva uma jovem freqüentadora da alta sociedade de Belo Horizonte da década de 60, eleita a Garota do Maiô Dourado e que enfeitiçava os homens a beira da piscina de um clube tradicional a deixar o futuro promissor de lado, ir morar no quarto 304 do Maravilhoso Hotel na zona boêmia transformada em Hilda Furacão, a musa erótica que tira o sono da cidade?

A vida de Hilda se cruza com os sonhos de três rapazes vindos do interior: Frei Betto que queria ser santo, outro que queria ser ator de Hollywood e o jornalista Roberto que narra a história. Hilda Furacão é o desafio que o santo tem que enfrentar.

O cenário político da época está muito bem representado neste livro que mistura personagens reais e fictícios expondo os acontecimentos importantes desse cenário com veracidade singular. Nessa obra Roberto Drummond conseguiu fazer com que eu, que nunca fui politizada, compreendesse essa fase pré-ditadura no Brasil.

12 março 2010

A MALDIÇÃO DA MOLEIRA
Cris Compagnoni dos Reis18:41 1 comentários


Frequentemente faço algumas incursões pela literatura infanto-juvenil, acho revigorante, me sinto criança novamente. Em uma dessas viagens descobri a Índigo e o livro A MALDIÇÃO DA MOLEIRA. Essa autora tem uma imaginação mais que fértil, é fertilizante por que ela consegue fazer com que o leitor entre na sintonia da história.

O livro é escrito em primeira pessoa e o seu narrador é um bebê, que adquiriu consciência no momento em que sua avó apertou a sua moleira, a avó que sempre desejara apertar a moleira dos netos tinha se contido até então, mas era o seu neto mais novo e depois dele não viriam outros e ela não resistiu.

11 março 2010

CEM ANOS DE SOLIDÃO
Cris Compagnoni dos Reis12:13 2 comentários


Tenho a impressão de que tudo o que disser sobre esse livro já foi dito já que foi com ele que Gabriel García Márquez ganhou o Prêmio Nobel de Literatura de 1982. Essa leitura foi realmente complicada, muitos adjetivos e expressões regionalistas da Colômbia que não encontrei nos dicionários a minha disposição e a internet não me era uma ferramenta muito acessível na época.

CEM ANOS DE SOLIDÃO conta a história do povo da fictícia Macondo e de seus fundadores a família Buendía, representa de forma alegórica a história da Colômbia incorporando elementos de caráter mítico e lendário. Têm aquele estalo de fantasia que me encanta e ao mesmo tempo em que é triste apresenta o inegável humor que só Garcia Márquez consegue imprimir nas histórias.

10 março 2010

A MULHER QUE ESCREVEU A BÍBLIA
Cris Compagnoni dos Reis12:40 0 comentários



Este livro do escritor gaúcho Moacyr Scliar foi delicioso de ler o autor têm uma imaginação incrível, existem alguns livros que quando termino de ler me vem o pensamento: “até eu escreveria algo assim” (apesar de nunca escrever), mas Moacyr Scliar não é assim ele sempre me surpreende, sempre vem com algum personagem meio surreal que eu nunca seria capaz de imaginar, isso sem falar no humor de suas histórias que sempre estão vinculadas a uma pitada de fantasia.

Em A MULHER QUE ESCREVEU A BÍBLIA Scliar já começa a contar a história de um jeito nada tradicional, pois sua protagonista é fruto de uma seção de regressão em um consultório médico, regressão essa que vai até cerca de 700 a.C. período em que viveu o lendário Rei Salomão. A partir de então quem narra à história é a própria mulher, quem em parte alguma do livro diz o seu nome, ou seja, li o livro e adorei, mas não sei o nome da personagem principal.

09 março 2010

A SOMBRA DO VENTO
Cris Compagnoni dos Reis18:24 3 comentários


Foi uma árdua tarefa me decidir pelo livro seria o primeiro, optei por um dos meu favoritos mas isso não facilitou nada pois essa lista não pequena.

A sombra do vento é um romance eletrizante do escritor espanhol Carlos Ruiz Zafon, tudo começa em Barcelona, em 1945. Daniel Sempere está completando 11 anos. Ao ver o filho triste por não conseguir mais se lembrar do rosto da mãe já morta, seu pai lhe dá um presente inesquecível; em uma madrugada fantasmagórica, leva-o a um misterioso lugar no coração do centro histórico da cidade, o Cemitério dos Livros Esquecidos.

O lugar, conhecido de poucos barceloneses, é uma biblioteca secreta e labiríntica que funciona como depósito para obras abandonadas pelo mundo, à espera que alguém as descubra. A descrição que Ruiz faz deste Cemitério mexeu tanto com a minha imaginação que eu quis estar lá, e desejei profundamente que não fosse ficção. É lá que Daniel encontra um exemplar de 'A Sombra do Vento', do também barcelonês Julián Carax.

08 março 2010

POR QUE GOSTO DE LIVROS
Cris Compagnoni dos Reis20:15 1 comentários

Gosto de histórias. Quando criança meu pai me contava uma toda noite, um contador de histórias nato. Com o tempo descobri um universo cheio delas, um universo no qual poderia entrar sempre que desejasse, sempre que abrisse um livro, e onde encontraria de tudo: romance, aventura, ficção científica, comédia, fantasia, e até mesmo realidade.

Livros mexem com as minhas emoções, eu dou risada, choro, fico na torcida por alguns personagens, me coloco no lugar de outros, me envolvo mesmo, aprendo, crio expectativas, frustro-me. Viajo para lugares que não conheço e para épocas que não vivi, sinto que estou lá.

Tenho as minhas preferências e existe também o que não me agrada, raramente leio contos e crônicas, poesia então é a minha ultima opção, peça teatral ou roteiro eu nunca li creio que estas são obras criadas para o deleite visual, para serem encenadas e não lidas, definitivamente não tenho vocação para atriz.

Há mais uma classificação literária de que não gosto: auto-ajuda, concordo plenamente com uma frase que li no twitter, mas não lembro o autor, que diz o seguinte: “livros se auto-ajuda são aqueles que alguém escreve pra os outros o ajudem a ganhar dinheiro”, estes livros podem ter ajudado muita gente, realizado verdadeiros milagres mas me soam como conselhos que não pedi e lições de moral que me incomodam, quando julgar que preciso de ajuda procuro um médico, um psicólogo ou a minha mãe, a leitura é para o meu prazer.

Na verdade acho que não existe um porque, simplesmente gosto de ler e, gosto não se discute!

07 março 2010

Criando um BLOG
Cris Compagnoni dos Reis22:50 1 comentários

Por quê? Quero me expressar, sinto necessidade de me comunicar, seja falando ou... Escrevendo. Creio que a segunda opção é melhor, pois assim não obrigo ninguém a me escutar e ofereço a opção da leitura para os interessados.

O assunto? Meu vício preferido é claro, os LIVROS. Leio muito e adoro discutir, comentar o que leio, inspiração sei que não me faltará livros também não já o tempo é algo a ser levado em consideração. CINEMA é outro assunto a ser explorado, não vejo tantos filmes quanto gostaria mesmo assim creio que assisto bastante, ainda me atenho a determinados gêneros, não sou tão eclética quanto na literatura, porém nada me impede de mudar. No mais, para alguem que gosta tanto de falar assunto é o que não falta.

Vou conseguir levar isso adiante? Sinceramente não sei, espero que sim e que dure um longo tempo. Não sei se este blog terá acessos, sei que pretendo mantê-lo atualizado e com postagens interessantes, esse é o meu mergulho no mundo virtual, estou me jogando... Se vou me manter viva nele? Só Deus sabe, mas estou contando com Ele.